Seguidores

domingo, 16 de novembro de 2008

Bernardo Bertolucci



O realizador italiano Bernardo Bertolucci foi hoje aplaudido de pé por mais de uma centena de pessoas que se deslocaram ao Estoril para assistir ao documentário "Bertolucci Secondo il Cinema", feito durante a rodagem do seu filme "1900".
Compareceu durante breves momentos no Centro de Congressos do Estoril para saudar os seus admiradores e agradecer ao director do festival, Paulo Branco, a distinção.
Sobre o filme "1900" (Novecento), rodado nos anos 70 e protagonizado por dois jovens actores - Robert De Niro e Gérard Depardieu - o realizador referiu que foi uma obra "ambiciosa".
O filme faz uma retrospectiva histórica da Itália desde o início do século XX até ao final da Segunda Guerra Mundial, com base na vida de Olmo, filho bastardo de camponeses, e Alfredo, herdeiro de uma família rica. As visões políticas dos dois opõem-se: um apoia o fortalecimento do fascismo e outro as lutas dos trabalhadores.
Bertolucci não resistiu a lembrar que tanto para Portugal como para Itália o dia 25 de Abril é uma data de "libertação", uma vez que o 25 de Abril de 1945 marca o derrube do fascismo em Itália.

Nascido em 1940, Bertolucci estudou na Universidade de Roma onde ganhou fama como poeta.
Já nos Estados Unidos dirigiu O conformista (1970), que chegou a ser indicado para o Oscar de melhor roteiro. Em 1972, a sua primeira obra-prima, O último tango em paris, escandalizou meio mundo e deu a Bertolucci mais uma chance de concorrer ao Oscar, desta vez como director Depois de fazer 1900, um filme monumental e muito ambicioso, Bertolucci partiu para o drama intimista em La Luna.

Em 1987, consagrou-se com O último Imperador, que recebeu nove Oscars, incluindo os de melhor filme e melhor director. Em O Céu que nos protege (no Brasil), Um chá no deserto (em Portugal), nova obra-prima, rodado em 1990, em pleno deserto do Sahara, Bertolucci extraiu interpretações fantásticas de Debra Winger e John Malkovich. Seguiram-se O pequeno buda prejudicado por uma certa frouxidão narrativa.
Os seus últimos filmes que falam de relacionamentos e sentimentos, são profundamente intimistas como e Beleza roubada e Assédio.

Bertolucci que se encontra em plena actividade, é um cineasta ousado, que gosta de movimentos de câmara sofisticados, roteiros inteligentes e não tem medo de experimentar, mesmo quando trabalha com grandes orçamentos.


Fonte: Wikipédia e Jornal de Notícias

10 comentários:

Vanessa disse...

Gosto muito deste diretor. Mas, destes filmes citados no post vi apenas 3. Preciso correr pra locadora!

abraço

Meiroca disse...

Que bom ver noticias da Italia no teu blog.

Abraços

Meire

www.meiroca.com

João disse...

Emilia,

Boa lembrança deste grande realizador,vi grande parte da sua cinematografia,e este filme em particular também,"1900",fiquei com saudade de rever ele.
Gostei muito do "Um chá no deserto",uma deambulação pelo silencio de uma relação em crise numa paisagem que fascina-me.

E fico pensando como este tipo de arte cinematográfica está em desuso,de como raramente estas obras com profundidade humana e artística estão sendo criadas actualmente...
O dinheiro e lucro entrou em todas as esferas da sociedade,e o cinema está contaminado por eles,basta ver o que é realizado em Hollywood,que é maioritariamente de lógica comercial.

Bertolucci é um dos grandes realizadores de todos os tempos,não sabia que estava em Portugal.

Abraço amiga,
joao

Flor ♥ disse...

Adoro Bertolucci, principalmente por O Ultimo Tango em Paris!

Bem-vinda no Interlúdio com Florbela! Vamos homenagear a divina Florbela Espanca, a 8 de dezembro!

Bjs.

Ropiva disse...

Sem dúvidas, Bertolucci é um dos melhores diretores de todos os tempos. O último que vi dele foi o Beleza Roubada, já há algum tempo. "Assédio" ainda não vi. Parabéns pelo artigo.

Abraços

Jorge Fortunato disse...

Só vi o "Último Tango" bem depois de lançado, era menor de idade na época. Lembro que minha mãe voltou horrorizada do cinema. Quando assiti, em vídeo, não vi nada de mais, apenas uma história de amor entre um homem e uma mulher. O último Bertolucci que assisti foi Beleza Roubada, um filme lindo. Tenho o DVd e a trilha sonora que é muito boa.

Alfeo Viero Filho disse...

Bertolucci é para mim o maior diretor vivo na atualidade... Por Que vc não cita o soberbo Amantes filme que veio resgatar o envelhecido Ultimo Tango?

. disse...

Olá querida
Quando puder passe lá no Flores e Pérolas, que deixei um presentinho pra ti
Beijos
Sol

Ju Rigoni disse...

Adoro Bertulucci! Vi e revejo muitos de seus filmes. Gosto principalmente daqueles em que há o contraponto de uma interpretação intimista com os grandes planos de câmera. Filmes que nos fazem tirar os pés do chão...
Bjs, amiga, e inté!

Cristiano Lopes disse...

Eu adoro os trabalhos do Bertolucci. "Os Sonhadores" foi um dos melhores filmes que vi recentemente. "O Último Tango em Paris" eu reassisti dia desses, pois tinha visto há muito tempo. É um clássico, pretendo assistir mais algumas vezes. "Assédio" é outro filme de que gosto muito.

Abraços

Museu da Propaganda