Seguidores

domingo, 2 de novembro de 2008

Portinari

Vim de terra vermelha e do cafezal
As almas penadas, os brejos e as matas virgens
Acompanham-me como o espantalho,
Que é o meu auto-retrato
Todas as coisas frágeis e pobres
Se parecem comigo

Candido Portinari



Cândido Portinari nasceu a 29 de Dezembro de 1903, numa fazenda de café em Brodoswki, no estado de S.Paulo.
De família humilde recebeu apenas a instrução primária, porém desde criança manifestou a sua vocação artística.

Aos seis anos, começou a desenhar e aos nove participou durante vários meses dos trabalhos de restauro da igreja de Brodowski, ajudando os pintores italianos.

E 1918 matriculou-se na Escola Nacional de Belas Artes, na qual estudou desenho e pintura.
Em 1928 conquistou o Prémio de Viagem ao Estrangeiro da Exposição Geral de Belas Artes, de tradição académica.

Viajou pela Itália, Inglaterra e Espanha e fixou-se em Paris onde descobriu a pintura moderna.
Em 1930 regressou ao Rio passando a trabalhar num ritmo intenso, retratando o povo brasileiro. Lavradores com pés disformes, pés que podem contar uma história, tal como os via quando era menino.

Aos poucos foi deixando as suas características académicas para enveredar por uma pintura mais experimental e moderna.

O interesse de Portinari como pintor e como itinerário de acesso ao Brasil da sua época, não se limitou ao legado pictórico. Representou, também, um importante pólo de captação e irradiação das principais preocupações estéticas, artísticas, culturais, sociais e políticas da sua geração.
Cândido Portinari é o pintor brasileiro com mais projecção internacional

Homenagens, títulos e prémios

▪ 1940 – Chicago (EUA) – A Universidade de Chicago publica o primeiro livro sobre o pintor, Portinari: His Life and Art, com introdução do artista Rockwell Kente;

▪ 1946 – Paris (França) – Legião de Honra concedida pelo governo francês;

▪ 1950 – Varsóvia (Polónia) – Medalha de Ouro, pelo painel Tiradentes (1949), concedida pelo júri do Prémio Internacional da Paz;

▪1955 – Nova Iorque (EUA) – Medalha de Ouro, como melhor pintor do ano, concedida pelo Internacional Fine Arts Council;

▪ 1956 – Nova Iorque(EUA) – Prémio Guggenheim de Pintura, por ocasião da inauguração dos seus painéis na sede da ONU.


Portinari pintor

Sobre Portinari diz-nos Giuseppe E. Luraghi, critico de arte, escritor e poeta italiano:
Nestes dias de desorientação, de funambulismos e de anemia, o exemplo da arte poderosa de Cândido Portinari, tão rica de significado, de matéria e de sólida técnica, chega a nós como um bom vento vivificante, a demonstrar-nos que a grande veia latina não se exauriu, mas, ao contrário, enriquecida de novos temas, continua viva, também pelo mérito de um filho de emigrantes que ainda acredita que a pintura seja um oficio sério, árduo e útil aos homens.

RenéHuyghe, conservador-chefe do Museu do Louvre

Considero Portinari um dos maiores pintores do nosso tempo.
A sua força é enorme. Na manhã em que vi o conjunto das suas telas, experimentei tal emoção que fiquei possuído de uma verdadeira fadiga nervosa. Nessa tarde não pude trabalhar, achava-me realmente cansado


Portinari politico

Entrevista do Poeta e amigo Vinícius de Morais

Vinicíus
- Como chegou você à posição política?

Portinari
- Não pretendo entender de politica. Minhas convicções, que são fundas, cheguei a elas por força da minha infância pobre, de minha vida de trabalho e luta, e porque sou um artista. Tenho pena dos que sofrem, e gostaria de ajudar a remediar a injustiça social existente. Qualquer artista consciente sente o mesmo…


Fontes: http://www.portinari.org.br/
http://www.casadeportinari.com.br/

1 comentário:

Ropiva disse...

Sem dúvida alguma um dos maiores pintores brasileiros. As obras de Portinari são extraordinárias.
Parabéns pelo artigo, Emilia.

Abraços