Seguidores

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Yves St Laurent um ícone da moda


Exposição

A primeira exposição pública da obra de Saint Laurent feita desde a sua morte foi aberta no fim - de - semana passado no museu DeYoung, em San Francisco. A colecção de 130 criações abrange 40 anos do trabalho do estilista, desde os seus vestidos-trapézio criados para a Dior até aos seus famosos smokings e jaquetas safári que revolucionaram a moda feminina e consolidaram a grife Yves Saint Laurent como ícone da alta-costura inovadora.
"Muitas mulheres elegantes eram fãs de Saint Laurent, incluindo a actriz francesa Catherine Deneuve, a princesa Grace de Mônaco e Bianca Jagger, que usou um smoking branco do estilista no seu casamento com Mick Jagger.
Enquanto Coco Chanel libertou a mulher das restrições dos corpetes, Yves Saint Laurent deu-lhe"força e poder"segundo Bergé. Criado para a cantora francesa Françoise Hardy em 1968, o smoking feminino transformou-a no símbolo de poder masculino.
A exposição abrange peças da colecção da Fundação Pierre Bergé-Yves Saint Laurent, que tem 5 mil criações de alta-costura catalogadas e guardadas em Paris.
As pessoas que vêem a exposição podem acompanhar as experiências de Saint Laurent com a escultura e a geometria a partir de 1988. Numa homenagem a Georges Braque, o corpete de um vestido de crepe de seda salmão é adornado com o bico de uma pomba feita de contas, cujas asas abertas sobem, formando uma gola dramática.
Mais de 20 anos antes, a colecção de 1965 do estilista já incluíra a sua célebre homenagem a Piet Mondrian, um vestido de blocos geométricos de cor, formando um contraste com as curvas do corpo feminino.
Saint Laurent encontrava inspiração na cultura mundial, quer fosse na vida dos camponeses russos, nas touradas espanholas ou em fontes ainda mais exóticas.


Biografia

Nascido na Argélia, então possessão francesa, St. Laurent era filho do presidente de uma companhia de seguros e o seu gosto pela moda foi-lhe despertado pela mãe. Aos 17 anos, deixou a casa dos pais para trabalhar com o estilista Christian Dior, de quem herdou o controle criativo da casa Dior após a morte do seu mentor em 1957, com apenas 21 anos de idade, assumiu o desafio de salvar o negócio da ruína financeira.
Nos anos 60 e 70, a marca tornava-se conhecida em todo mundo conjugada com sofisticação, com o ponto alto de sua criatividade no lançamento do smoking feminino, que permitiria dali em diante às mulheres trabalharem de calças compridas. Em 1966, foi o primeiro a popularizar o prêt-a-porter, a moda de bom gosto e bom corte, a preços mais acessíves que a alta-costura, na sua boutique Rive Gauche, em Paris. Foi também o primeiro estilista do mundo a usar manequins negras em desfiles de moda...
Um dos símbolos máximos da sofisticação e do bom gosto em moda por quase quatro décadas, amigo de algumas das mais ricas e famosas mulheres do mundo, todas suas clientes como Diane von Furstenberg, Loulou de La Falaise e Catherine Deneuve, St Laurent, com a parceria administrativa de Bergé, transformou a YSL num ícone da moda, que apresentou mais de setenta colecções de alta-costura e lançou uma infinidade de produtos que levam a sua marca e são vendidos em todo o mundo.
Em Janeiro de 2002, o estilista anunciou que estava deixando o mundo da moda durante a apresentação de um desfile seu, que trazia uma retrospectiva de todas as suas criações, ao longo de seus quarenta anos de carreira.
St. Laurent morreu em Paris, diagnosticado com câncer cerebral às 23h10min de 1 de Junho de 2008.

1 comentário:

bethccruz disse...

Popularizar a alta costura, foi a grande sacada do St Laurent.
Quem não gostou de um dia exibir uma peça com o nome de Yves St Laurente, mesmo que essa tivesse vindo do paraguai, rsrsrssss
Beijo Emilia, post muito legal!